sexta-feira, 17 de abril de 2009

Aquela mesma coisa.

Aquela mesma coisa de sempre.
Ela desabafa com o ninguém e se sente muito bem.Por que?Nem ela mesma sabe.
A verdade é que ela era estranha,mas era uma estranha feliz.

3 comentários:

Frαncy; disse...

É verdade.
O próprio nome dela significa estranha :)

amovocê, Moreno!

DIEGUITAS disse...

adorey o seu blog, vlw por comentar la no nosso..




Bjks boa semana
S2

Weber disse...

O ninguém é, muitas vezes, uma caixa cheia de fios e placas que mostra imagens por uma tela e as transmite para o mundo.

Parabéns pelos textos.